sábado, 3 de maio de 2008

Cultura, manejo, plantio, exploração, óleo essencial, óleo Vetiver

SBRT ( Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas ) Formulário Padrão de Resposta Técnica 1
Resposta Técnica
Assunto
Capim VETIVER
Palavras chave
Cultura, manejo, plantio, exploração, óleo essencial, óleo Vetiver
Identificação da demanda
Tenho 25 alqueires e gostaria de conhecer, também, como produzir o capim VETIVER e como colocá-lo no mercado.
Quem no Brasil usa o VERTIVER e como saber produzi-lo e comercializá-lo?
Solução apresentada
Nome científico Vetiveria zizanioides Stapf.
Vetiver: planta da família Gramineae, aromática de clima tropical, possui sistema radicular fasciculado, cujas raízes
contêm óleo essencial muito aromático, que lembra aroma de madeiras orientais e é largamente utilizado em perfumaria.
Esse óleo é obtido destilando suas raízes secas em corrente de vapor, sob pressão.
INFORMAÇÕES DE ORDEM GERAL:
Em agosto de 1996, a tecnologia do capim vetiver chegou ao Brasil por intermédio dos CIERs - Centros Integrados de
Educação Rural (www.vetiver.com) , com a implantação de pequenos viveiros para a multiplicação das plantas e, em
1999, na região de Camamu - Bahia, foram conseguidas as primeiras mudas de vetiver. Como em outros Estados do
Brasil, como Pernambuco, por exemplo, a variedade de vetiver com raízes aromáticas (matéria-prima do perfume
Patchuli) foi disseminada por partes do Brasil. Este tipo de vetiver só cresce onde for plantado, não se espalha por
outras áreas e não se torna uma praga. Segundo o livro "Capim Vetiver - A Barreira Vegetal Contra a Erosão, do Banco
Mundial, 1990", é muito importante que o vetiver plantado seja só do tipo originário do Sul da Índia. Esse é o tipo
atualmente mais disseminado ao redor do mundo.
O capim vetiver foi introduzido pelos CIERs, no Estado do Espírito Santo. Para melhor informar sobre as vantagens e
utilizações desta técnica alternativa, com apoio da Rede Mundial e Rede Latino-Americano do Capim Vetiver, foi
publicada a cartilha: "Capim Vetiver - A Barreira Vegetal Contra a Erosão: perguntas & respostas e próximos passos".
O capim vetiver é de grande utilidade em regiões de clima tropical quente com predominância de solo areno/argiloso
com uma rápida decomposição de matéria orgânica e longo período de estiagem, onde o solo está empobrecido por:
Erosões; Lixiviações; Compactação; Perda microbiana, e; Dificuldade de retenção de água.
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA CULTURA TRADICIONAL:
Época de plantio: outubro-dezembro.
Espaçamento: 90-120cm entre linhas x 30-50cm entre plantas.
http://www.sbrt.ibict.br
SBRT Formulário Padrão de Resposta Técnica 2
Mudas necessárias: 18.000-39.000/hectare, feitas por subdivisão das touceiras.
Quando para Controle da Erosão: cultura em nível.
Calagem e adubação: corrigir a acidez, quando o índice de saturação em bases for inferior a 50%. Aplicar, no plantio,
40-60kg/ha de P2O5 e 30-40kg/ha de K2O, e 30kg/ha de N, em cobertura. Devolver as raízes destiladas e decompostas e
incorporar as falhas picadas ao solo.
Outros tratos culturais: capinas.
Observação: preferir terras arenosas e profundas, para facilitar a colheita.
Controle de pragas e moléstias: normalmente dispensável.
Colheita/Destilação: 10-20 meses após o plantio no campo. Cortar a parte aérea e arrancar as raízes para destilação.
As raízes devem ser retiradas do solo com um garfo e as raízes devem ser lavadas cuidadosamente. Para extração do
óleo as raízes devem ser cortadas de 4-5 cm de comprimento.
Produtividade normal: cerca de 3-5t/ha de raízes secas, o que representa aproximadamente 60-100kg de óleo
essencial por ciclo.
Rotação: leguminosas ou outras espécies não gramíneas.
Variedades:
De uma maneira geral, são cultivadas duas variedades: a South Indian e a North Indian (khus). O tipo South Indian
produz mais raízes e tem um maior rendimento de óleo. O tipo North Indian, entretanto, apresenta uma qualidade
superior de óleo. Entre os tipos South Indian, o tipo Nilambur (ODV-3) tem uma produção média de 5 t/ha de raízes, das
quais obtém-se de 20-30 kg de óleo/ha.
TÉCNICA DE CULTIVO DO VETIVER PARA FINS DE EXTRAÇÃO DO ÓLEO AROMÁTICO:
Para a produção de óleos essenciais a partir do vetiver, está sendo desenvolvida uma nova técnica de cultivo: utilizando
sacos grandes de polietileno para seu plantio. Este projeto vem sendo desenvolvido pelo Highland Foundation Project
em colaboração com o Thailand Institute os Scientific and Technological Research, Department of Agricultural Extension
e a empresa Thai-China Flavours and Fragances Industry Co. Ltd.
No artigo referenciado a seguir são encontradas fotos dessa forma de plantio.
Fonte: Narong Chomchalow
The Utilization of Vetiver as Medical and Aromatic Plants, with Special reference to
Thailand (september 2001)
In.: http://www.vetiver.com/PRVN_med_aro%20doc.pdf
POTENCIAL COMERCIAL E INDUSTRIAL DO ÓLEO DE VETIVER:
O vetiver tem um grande potencial de utilização, em escala comercial, na fabricação de produtos farmacêuticos.
O óleo de Vetiver é um importante produto obtido da raiz da planta e que contem centenas de terpenos, terpenóides,
fenóis etc. Atualmente possui três aplicações comerciais primarias: como aromatizante em perfumes, como aditivos
flavorizantes de alimentos e como inseticida natural.
O óleo de Vetiver foi, recentemente, testado quanto às suas propriedades antioxidantes, carcinogênicas e termiticidas.
Dos resultados obtidos, pode ser concluído que o óleo de vetiver possui atividades biológicas multifuncionais. Ele
demonstrou ser não somente um excelente antioxidante natural como um termiticida alternativo. No que diz respeito a
seu potencial anticarcinogênico, o óleo de vetiver demonstrou que ele pode ser a chave para novas drogas contra
cânceres específicos, já que inibiu o crescimento em até 89% de três tipos de células cancerosas testadas.
Fonte: Feng Chen, Xi Wang e Hyun-jin Kim
Antioxidant. Anticarcinogenic and Termiticidal Activities of Vetiver Oil.
Poster Paper. (10/26/03)
SBRT Formulário Padrão de Resposta Técnica 3
In.: www.vetiver.com/TVN_archive.htm#Anchor-MEDICAL-44591 AQUISIÇÃO DE MUDAS NO BRASIL:
CNPAF/EMBRAPA
Michael Thung
Caixa Postal 179 74001-970
Goiania/Goias - Brasil
Tel: 55-062-8332180; Fax: 2153831
E-mail: mthung@international.com.br
CIERs - ES
Joachim Boehnert
Caixa Postal 77
Nova Venécia - Espirito Santo CEP 29.830-000, Brasil
Fax: 55-027-752-1604, a/c CIERs
E-mail: joe@escelsa.com.br
CENARGEN/EMBRAPA
Fax: 55-061-274.3212
REFERÊNCIAS TÉCNICAS:
1. Instituto Agronômico de Campinas
CENTRO DE ADMINISTRAÇÃO DA PESQUISA E DESENVOLVIMENTO
Av. Barão de Itapura, 1.481
Caixa Postal 28
13020-902 Campinas (SP)
Fone: (019) 3231-5422 - Ramal 137
Fax: (019) 3231-5422 - Ramal 136
2- CIERs Centro Integrado de Educação Rural do Norte do ES
Joachim Boehnert
Caixa Postal 77
Espirito Santo
CEP 29830-000 Brasil
joe@escelsa.com.br
3.EMBRAPA Centro Nacional de Pesquisa de Arroz e Feijão
Caixa Postal 179
Tel. 55-062-8332180
mthung@interational.com.br
4.EMBRAPA Centro Nacional de Pesquisa Agroindustrial de Alimentos
Av. das Américas 29501
Guaratiba Rio de Janeiro
Tel. 21-2410-9500
Chefe Técnica Regina Nogueira
nogueira@ctaa.embrapa.br
Conclusões e Recomendações
O capim vetiver tem um grande potencial de exploração comercial, tanto o óleo essencial extraído de suas raízes quanto
o capim propriamente dito. O Vetiver é cultivado na Índia, Burundi, China, Indonésia, Reunião, Haiti, Tailândia (onde
várias patentes para diversas aplicações foram solicitadas) e no Brasil, onde seu cultivo ainda não está amplamente
disseminado.
Quanto ao seu cultivo, já existe um grande conhecimento sobre a forma tradicional de fazê-lo e que poderá ser utilizado
para o inicio das atividades de exploração do óleo vetiver. Recomenda-se, entretanto que seja feito um contato com a
equipe do Highland Foundation Project, que vem desenvolvendo uma nova técnica de cultivo, voltada especificamente
para a extração do óleo das raízes do vetiver, objeto básico da consulta, e que poderá vir a ser utilizado futuramente.
SBRT Formulário Padrão de Resposta Técnica 4
Referências
1 - www.vetiver.com 2 - www.vetiver.com/TVN_archive.htm#Anchor-MEDICAL-44591
3 - http://www.vetiver.com/PRVN_med_aro%20doc.pdf
4 - Vetiveria: The Genus Vetiveria, edited by Massimo Maffei , 2002 202 pages copyright © 1998-2005 Culinary and
Hospitality Industry Publications Services
($108.95 + shipping)
5 - www.bpg.bg/bulgarianrose/essentialoils/oils/vetiver.phtml
6 - http://www.kau.edu/pop/medicinalplants.htm
7 - www.ktc.net/jacosa/vetiver.htm
8 - www.inr.unp.ac.za/vetiver/news10/News10_Nursery.htm
9 - www.misu.ait.ac.th/NewsAndEvents/newsletterData/HTMLFormat/iss2no5/king.htm
Nome do Técnico responsável
Maria Helena Lopes
Bolsista REDETEC
Nome da Instituição Respondente
REDETEC Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro
Av. Rio Branco 125-6o. andar
Rio de Janeiro-RJ cep:20040-006
Tel. (21) 2221-9292
www.redetec.org.br
info@redetec.org.br
Data da Finalização
03/08/2005

Nenhum comentário: